Arquivos da etiqueta: Annablume

Portugal e Galicia en Guilherme de Almeida

“A rua que eu imagino, desde menino, para o meu destino/ pequenino/ é uma rua de poeta, reta, quieta, discreta,/ direita, estreita, bem feita, perfeita/ com pregões matinais de jornais, aventais nos portais, animais e/ varais nos quintais”. Quen así … Sigue lendo

Publicado en Crítica literaria, Literatura en lingua portuguesa, Sen clasificar | Etiquetado , , , , | Deixa un comentario